Fazer coisas novas com gangas velhas

1.Tinha um par de calças prontos para ir para o lixo, mas decidi dar-lhes uma última oportunidade: cortei as duas pernas na altura desejada (1), cortei o entrepernas pelas costuras, coloquei, por baixo, tanto à frente como atrás, o tecido novo (também ele reutilizado) em forma de trapézio (2), costurei o gancho das calças para não formar um bico (3) e cosi o resto directamente em cima da ganga (4). Se coserem direito com direito, como eu fiz em primeiro lugar, sem pensar, a saia faz um formato tipo “cauda de baleia” que não é coisa que queiram ter na parte da frente da saia…

Depois da bainha feita, fiquei com uma saia nova.

2.A Inês deixou de ter calções de ganga que lhe sirvam. Ela adora calções. Por outro lado, odeia calças de ganga, que tem mais que muitas… Peguei numas rasgadas no joelho, cortei pela altura desejada e cosi uma tira por dentro, que dobrei depois para fora e cosi, como um forro exterior. Foi, novamente, o sucesso total!

Saia das raposas

quase um ano que não lhe fazia uma saia. Mas agora pediu-me uma saia nova, com raposas, que ela ainda adora. Foi mais ou menos assim:

Inês – Mamã, porque é que tu tens de ir para a costura às segundas-feiras? Assim já não vens connosco à natação!
Eu – Eu vou à costura assim como tu vais à natação e à capoeira, para aprender coisas novas. Continuo a estar convosco todos os outros dias, só à segunda é diferente.
Inês – Mas eu não quero que tu vás à costura.
Alice – (para a Inês) A mamã vai à costura para aprender a fazer saias e vestidos, não percebes, ó? (vira-se para mim) Mamã, fazes-me uma saia nova?
Eu – Posso fazer. Tens algum desejo especial?
Alice – Uma com raposas.

E assim foi. Por sorte, tinha lá um tecido (seria da M is For Make?) com raposas que deu mesmo à justa. Na verdade, não consegui fazer muita roda e, por isso, acho que não ficou tão gira como a saia dos elefantes, mas ela gostou à mesma (e demorei 30 minutos a fazê-la!). Só não se deixou fotografar, o que resultou nisto:

A saia dos elefantes

A saia dos flamingos, que para ela são patos, era gira, mas não era ainda bem o que ela queria. Giro, giro, era uma saia dos elefantes. Calhou a mãe ainda ter um resto de uma capulana com elefantes que trouxe de Moçambique em 2011 e que fez uma saia mais rodada.

 

 

 

-E agora, já gostas mais desta saia?

-Mamã, agora quero uma saia das girafas!

Saia dos flamingos

Depois de um longo Inverno sem vontade de pegar em agulhas, nada como recomeçar a costurar com um tecido lindíssimo que comprei há uns tempos na M is for Make. A ideia sempre foi fazer uma saia. Mas deixei a Inês crescer demasiado depressa e agora só tinha tecido para a Alice. Ainda assim acho que ficou o máximo. E este modelo é tão básico e simples de fazer que me pergunto porque é que não faço mais saias destas…