Fazer coisas novas com gangas velhas

1.Tinha um par de calças prontos para ir para o lixo, mas decidi dar-lhes uma última oportunidade: cortei as duas pernas na altura desejada (1), cortei o entrepernas pelas costuras, coloquei, por baixo, tanto à frente como atrás, o tecido novo (também ele reutilizado) em forma de trapézio (2), costurei o gancho das calças para não formar um bico (3) e cosi o resto directamente em cima da ganga (4). Se coserem direito com direito, como eu fiz em primeiro lugar, sem pensar, a saia faz um formato tipo “cauda de baleia” que não é coisa que queiram ter na parte da frente da saia…

Depois da bainha feita, fiquei com uma saia nova.

2.A Inês deixou de ter calções de ganga que lhe sirvam. Ela adora calções. Por outro lado, odeia calças de ganga, que tem mais que muitas… Peguei numas rasgadas no joelho, cortei pela altura desejada e cosi uma tira por dentro, que dobrei depois para fora e cosi, como um forro exterior. Foi, novamente, o sucesso total!

Uma actividade tão simples

Este mês, o tema na escola da Alice são os oceanos. Num impulso, ofereci-me para ir ler a história do Peixinho Maroto e os Seus Amigos que é uma das preferidas da Alice. Como só ir ler uma história não tem graça, num serão preparei uma actividade gira e simples, sem necessidade de coser ou de possuir grandes dotes para além de saber recortar.

Inspirei-me num poster do mundo aquático que veio na National Geographic de há uns meses e decidi fazer o mesmo, mas em feltro.

A única coisa que comprei foi um rectângulo de feltro de cor azul-do-mar-das-Maldivas, o restante feltro tinha-me sobrado do Quiet Book. Descarreguei imagens gratuitas de vários peixes e outras criaturas marinhas (por exemplo, estas), imprimi e passei por cima do feltro. Depois foi só recortar e colar alguns olhos que também me tinham sobrado do Quiet Book, para dar mais autenticidade à coisa. Seguindo o pressuposto de que feltro cola com feltro (ou com flanela, mas não tinha nenhuma azul), não é preciso mais nada para pregar os peixes ao fundo azul.

Não tenho fotos do processo e durante a actividade não tive tempo para tirar fotos, mas posso garantir que os miúdos adoraram e a minha Alice saltitava de contente, como se tivesse molas nos sapatos – acho que mesmo que a mamã dela fosse lá só para falar sobre o funcionamento de uma retroescavadora, ela ia delirar à mesma!!